© 2017 por IBEN | Instituto Brasil de Educação e Negócios

Bahia | Brasil

(77) 3422-4160 | 3421-8571

  • fb_icon_325x325
  • instagram
  • twitter-logo_318-40459
  • Linkedin

Contato

BLOG

Como a internet pode ajudar o seu negócio

21/9/2017

 

 

 

Algoritmos que entendem padrões e criam modelos de ação, também conhecido como Machine Learning. A ferramenta utilizada por gigantes como Amazon e Netflix para recomendação de produtos com base em comportamentos anteriores aliada com o crescimento exponencial das tecnologias digitais e o avanço da internet das coisas, trazem um cenário competitivo que está ganhando adeptos cada vez mais rápido. Varejistas que adotaram o Machine Learning obtiveram aumento de 19% nas margens operacionais nos últimos 5 anos.

Segundo a McKinsey, o Machine Learning tem maior potencial de fornecer às empresas previsões e prognósticos com a possibilidade de gerar otimização em tempo real se mantiver o ritmo de evolução. No Brasil o modelo mais procurado é baseado em árvore de decisão.

O uso da inteligência artificial para resolver grandes problemas da humanidade traz uma nova perspectiva para o futuro, é o caso da Conservation Metrics responsável por proteger espécies animais ameaçadas de extinção e a Thorn que protege crianças online.

A internet se apresenta como a mais recente tecnologia a mudar a economia, o movimento que David Robertson intitula de Terceira Via, em seu livro The Power of Little Ideas, possibilita inovação de baixo risco com a criação de produtos, acessórios e serviços complementares ao produto carro-chefe da organização. Claro que há limites sobre o que os clientes esperam de sua empresa mas, não se trata da melhoria do produto ou revolução do setor e sim inovações complementares ao produto principal. Se o produto principal não se valorizar como previsto, não é um grande problema pois se ganha dinheiro com seus complementos. Podemos citar as inovações da Apple (iTunes, iPhone, iPad) baseadas na venda de seu pioneiro, o iMac, que superaram em 7 vezes o produto principal ou a Disney que para complementar os filmes de animação, seu principal produto, criaram inovações como o Clube do Mickey, parques temáticos e até um canal de televisão. Atualmente, com filmes de sucesso a empresa ganha mais dinheiro com os produtos derivados e serviços complementares.

O mais importante é ter em mente qual o produto principal e qual é o centro rodeado pelas inovações e nunca dar mais atenção às inovações complementares que ao produto central. Empresas que lutam com dificuldades financeiras e com uma recessão podem ter mais sucesso ao optar pela Terceira Via e desenvolver a capacidade de fazer parcerias com outras companhias para conseguir entregar um portfólio completo de inovações mantendo o custo baixo e abrindo um leque de grandes oportunidades futuras.

A transformação digital envolve uma série de mudanças de ordem cultural, filosófica e gerencial, com o objetivo de oferecer ao cliente uma experiência superior de serviços incluindo maior comodidade e acesso a informação (nuvem, redes sociais, mobilidade, inteligência artificial e internet das coisas). A adoção dos novos canais digitais permite conhecer o cliente e se conectar com ele de forma inovadora. Estamos vivendo a Era do Cliente. Em poder da facilidade do cliente de encontrar outras alternativas não se trata mais de preços acessíveis, e sim de experiências únicas com o cliente.

No entanto, as mudanças tem que acontecer em toda a estrutura da organização, não basta digitalizar o front office (página de Facebook ou app) e continuar com estrutura burocrática. O negócio é pensar grande, começar pequeno e agir rápido!

  • Coloque-se no lugar do cliente e antecipe todas as suas necessidades

  • Reúna todos os dados e tecnologias que você já tem e avalie quanto impactam o cliente

  • Foque o negócio com o cliente e avalie o nível de esforço para conquistar oportunidades

  • Defina o que é sucesso e quais os objetivos em um prazo determinado.

O ponto está em possuir a visão completa do cliente, estabelecer confiança e ouvi-lo de verdade e responder agilmente a seus problemas. Para Steve Case, fundador da AOL, as qualidades exigidas de uma empresa para enfrentar esse processo são:

  • Perseverança: não se trata de sucesso rápido

  • Parceria: no novo cenário não se vai muito longe sozinho

  • Política: o domínio profundo das políticas públicas é necessário

A previsão aponta que em menos de uma década acontecerá uma transformação significativa nas relações entre cliente e empresa. Logo, surge o dilema entre crescer mais ou crescer melhor.

A computação cognitiva ajuda na tomada de decisões, a internet das coisas otimiza os processos e amplia a quantidade de dados disponíveis. Logo, monitorar as tecnologias que estão surgindo é fundamental no processo a fim de identificar fontes de oferta que antes eram inviáveis e foram viabilizadas pela tecnologia.

Pilares do mindset digital:

  • Aceleração inevitável

  • Novas ferramentas

  • Mudança de relação entre plataforma e mercado

  • Foco nas pessoas

  • Organização se transforma em um ecossistema

  • Inovação

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload